O Médico e o Menino

Numa cidade do interior, havia um médico totalmente cético. Não tinha religião, nem acreditava em Deus. Graças a Deus, para ele era uma expressão que não existia. Ele achava que, se conseguia salvar pessoas era por causa dele próprio e dos remédios, enfim, da medicina.

Como era o único médico daquela cidadezinha, numa noite chuvosa ele escutou alguém batendo em sua porta. Foi verificar. Era um menino que morava numa fazenda não muito longe dali. O menino vinha pedir socorro para a mãe que estava doente, vítima de uma virose que atacava a região. O menino estava todo molhado. Então o médico lhe ofereceu chá quente e uma toalha para se secar e logo em seguida os dois seguiram de carro até a fazenda.

Ao chegar na humilde casa do garoto, o médico percebeu que se a mãe não recebesse cuidados médicos, morreria ali. Não havia muitos recursos na casa e enquanto o médico cuidava da mãe, o menino ajudava-o. Depois de um tempo o menino foi para um outro cômodo da casa e a mãe dele acordou.

Quando ela reconheceu o médico, ficou agradecendo-o por ter ido até lá e salvado a vida dela. Ela perguntou ao médico como ele havia chegado até a casa dela, sendo que não havia meios de irem avisá-lo. Ele respondeu que tinha sido o filho dela que tinha ido até a casa dele para avisar sobre ela.

A mãe espantada respondeu: Mas doutor, meu filho já está morto há 3 dias... O médico olhou por uma janela e constatou que, em cima da cama, num quarto ao lado que estava a mãe, lá estava o menino. E morto.