As vozes inexplicáveis

Transportando Tropas em outubro de 1942, o transatlântico Queen Mary ziguezaveava para despistar os submarinos inimigos quando colidiu com um cruzador da escolta.

O enorme navio de 84 mil toneladas cortou ao meio o "Curaçao" de apenas 4.200 toneladas, lançando cerca de trezentos marujos nas águas geladas... pobres infelizes.

Mais de quarenta anos depois, quando o navio já estava ancorado como atração turística em Long Beach (Califórnia). O Carpinteiro Jonh Smith relatou ter ouvido vozes e barulho de água, enquanto trabalhava no porão do navio, na proa. Exatamente a parte que passara através do cruzador cortando-o ao meio. Segundo Smith, ele desconhecia de tal acidente ocorrido durante a guerra ao ouvir os barulhos pela primeira vez.

Aos desconfiados que estejam lendo isto. Willian G. Roll, o famoso parapsicólogo, examinou o navio em 1988. No compartimento da proa ele ouviu vozes que não pode explicar. Um gravador que tivera deixado a noite, captou vozes e um estranho "ruído de água corrente". Roll não comparou tal efeito a tal tragédia, mas até hoje o caso continua insolúvel e as vozes e os "ruídos" continuam a assombrar o estranho navio.